1 2 3
Olá! Seja muito bem-vindo ao Ser Escritora! Um blog onde encontrará textos, resenhas de livros, autores, dicas e muito mais.

Ser escritor(a)

25/05/16

Onde foi parar a humanidade?


Disseram-me que nestas estradas da vida,
eu encontraria semelhantes à mim,
capazes de amar e serem benignos,
mas só vejo seres imersos em escuridão.

Onde foi parar a humanidade,
que nem fogo que se alastra
consegue trazer luz?

Onde foi parar a humanidade,
pois só enxergo seres amargos
sem escrúpulos,
e sem princípios?

Oh, Grande Semeador da Humanidade,
não nos deixe só sem o teu amor
pois eles não sabem o que fazem, Pai.

Quero ir embora dessa realidade nefasta,
pois toda essa desgraça,
só a alma me dilacera.

Para onde a humanidade se foi?
A tragédia é real.
A violência é real.
O estupro é real.
O repúdio é real.

E só nos resta sentir.
Sentir todo o ódio crescente.
Todo o martírio pela vítima estilhaçada.
Todo o nojo que nos vincula.

Nos resta sentir.
Lutar.
Denunciar.
Temer.

Onde foi parar a humanidade?

15/05/16

Sejais grato!


Dia desses me peguei pensando no quanto tenho sido ingrata com minha própria vida. Que não tenho valorizado as pequenas conquistas que vieram durante este tempo, e as grandiosas que estão por vir. Não posso agradecer pelo que virá, sendo que o futuro é incerto, mas posso ser feliz pelas oportunidades que estão se abrindo.

Notei o quanto havia negligenciado tudo o que já vivi, como se fossem pífias conquistas num mar de uma imensidão de alegrias vindouras. Fiquei triste por não estar onde eu quero, ainda. Mas me esqueci do quanto cresci nos últimos anos.

Nos últimos meses.
Nos últimos dias.

Me esqueci que mesmo que a minha escrita não tenha me levado onde pretendo chegar, eu acabei de finalizar a escrita do meu terceiro livro, e isso é motivo de comemoração. Me esqueci que, embora a situação econômica e política do país não esteja das melhores, eu ainda tenho motivos para sorrir todos os dias, pelas manhãs, pois uma nova oportunidade se desdobra do parapeito da janela.

É o dia lá fora, anunciando que o sol continua a brilhar. Apesar de tantas barbaridades. Me esqueci que uma das grandezas da vida, é saber apreciar o belo em seus menores motivos. E que por mais que tanta coisa ruim esteja acontecendo, dentro de nós ou fora, sempre existirão razões para nunca deixarmos de acreditar que a vida não é fácil, mas ela não acabou.

E enquanto houver vida, haverá esperança!

29/04/16

CANAL SER ESCRITOR(A) + BOOK TRAILER

Olá, pessoas! Como estão?
Espero que estejam bem, pois eu tenho novidades.

O Canal do Ser Escritor(a) está quase pronto. Para quem quiser conhecer, vocês podem se inscrever. É só clicar aqui. O banner do Youtube já está em processo de produção!

Mas o tema da postagem de hoje, não é apenas sobre isso: SAIU O PRIMEIRO BOOK TRAILER DO MEU LIVRO.

É para comemorar de pé, certo? rs.

Ele foi feito Wallace Santos, que conseguiu extrair bem a essência do livro. Com a trilha sonora do Batman, Demi Lovato estrelando como Belina Colombari, e muito suspense. Quer conferir o resultado? É só dar uma olhada.


O que acharam? Quem tiver interesse, o livro está disponível lá no Wattpad: Não foi suicídio! 

Bora conhecer meu livro? É um suspense psicológico que estou amando desenvolver! Quero saber o que acham, hein! 

Abraços, 

Ju. 

26/04/16

E agora, Cecília?


Tirei um tempo para mim, pois, sabe Cecília, tenho estado distante de quem sou. Peguei esse tempo, fui fundo dentro de minha alma. Mergulhei nas profundezas de minhas incertezas, nos martírios de minhas derrotas, e me vangloriei na vitória. 

Sabe, Cecília, por muito tempo me esqueci de você. De mim. De quem já fui. De quem sou. De quem um dia eu pretendi ser. E notei que estava tão alheia à mim mesma, que não passava de uma escritora falida sem ter tentado. 

Cecília, eu juro que tentei me manter de cabeça erguida quando o raio forte do sol bateu em minha retina. Juro que jurei a mim mesma nunca mais desanimar, e toda vez que isso acontecesse, eu tentaria me reinventar.

É isso o que tenho feito sempre, não é, Cecília? Eu sempre invento um caminho de volta quando me perco na multidão, mas tenho medo de ficar presa nele para sempre. E o que eu faço agora, Cecília? Posso ir embora e deixar tudo o que conquistei, para trás? Posso seguir adiante, e buscar mais?

E agora, Cecília? Como faço se o sentimento ruim já não me pesa a alma? Como faço se nem sentimento bom me permeia, pois já não sou mais uma pessoa tão pura em sentimento? Eu já não sinto. Me falta culpa. Me falta remorso. Me falta amor. Me falta ódio. Me falta sentir. 

Quero voltar atrás e buscar um pouco de quem eu era, para construir quem eu devo ser, daqui para a frente. E agora, Cecília? Você me ajudará quando eu estiver perdida na escuridão, ou terei que enfrentar isso sozinha mais uma vez? 

06/04/16

Rainha da Epifania

Dou meus primeiros passos pela estrada de terra.
Dias se passaram desde que perdi os sapatos que me calçavam os pés,
desgastaram-se pelo tempo.
O tempo que a tudo perde.
Tudo desgasta.
Tudo regozija.
Tudo transforma.
Transmutou-me neste ser que hoje toma nova forma,
e caminha perdida pela estrada de terra.
Estou em busca de meu Trono,
em um Reino que ainda distante está.
Tão, tão distante.

Julianna Rodriguez. 
 

Código base por Thays Bueno, modificado por Emily Caroline. Tecnologia do Blogger.